C

Coisas que quero dizer para a minha filha

antonia - sete coisas que quero ensinar para minha filh

Vivemos há pouco tempo o dia tão esperado dos teus 15 anos. Sempre me perguntei o motivo dessa idade ser especial e simbólica. Hoje, com o distanciamento de mais de três décadas e te vendo florescer, desconfio que sei a resposta. A palavra é antiga e vem do francês, mas aqui nos Pampas Gaúchos, onde nascemos, a moda ainda não passou e és uma débutante, que significa iniciante ou estreante.

Segundo manda a tradição, o décimo quinto ano de uma mulher, pede uma linda comemoração, onde a aniversariante é apresentada oficialmente à sociedade, iniciando uma nova fase de sua vida.

É sobre o que quero falar agora: vida e suas fases. Eu sempre sonhei ser mãe de uma menina. Nunca me imaginei vestida de noiva, de véu e grinalda, mas fazia listas de nomes de meninas e chegava a me enxergar segurando uma bebê de cabelos pretos no colo, amamentando e dançando com ela. Uma mix de propaganda de margarina e de Molico.

Você veio como um cometa, não parecia ser a hora exata e nem o momento perfeito. Teu pai bem sabe disso, e lembro o quanto ele foi parceiro de embarcar comigo nessa aventura que é dar vida a outro ser humano. Te conto isso para te dizer que mesmo que eles pareçam fora de hora ou pouco planejados, jamais subestime teus sonhos. Até os infantis. 

Seja corajosa e aposte naquilo que sempre esteve no seu coração e no seu imaginário. Siga a sua intuição. Não espere pela hora certa, o aplauso ou a aprovação das pessoas, porque eles podem não acontecer nunca. Você foi meu maior e melhor impulso e se eu não tivesse tanta certeza dos meus desejos, vontades e a coragem de realizar os meus sonhos, muito provavelmente você não existiria.

Divida a sua verdade minha filha. Jamais minta para si e para os outros. Divida os teus sorrisos, as tuas angústias, as lágrimas, a sua opinião ou aquilo que move a sua alma. Tudo que você despejar nas pessoas e no mundo com delicadeza e educação, pode até não ser unânime e agradar a todos, mas voltará para você com amorosidade e respeito. 

Ajude da forma que for possível, o maior número de pessoas e causas que você conseguir. Além de sermos todos irmãos e semelhantes, precisamos permanentemente uns dos outros. Quanto mais prazer e realização você sentir servindo e sendo útil ao próximo com o seu dom e a sua compaixão, mais feliz e iluminada você será. 

Sei que é difícil, mas não faça fofoca. Uma fofoquinha inofensiva é quase irresistível às vezes — o ser humano adora palpitar sobre as roupas, os cabelos, a falta de noção ou o excesso de plásticas, de dinheiro e de chatices uns dos outros. Mas jamais na minha vida, nada do que eu tenha falado ou opinado sobre a vida e os hábitos alheios, mudou ou melhorou a minha. Pelo contrário. Para conter a fofoca e a maledicência tem um truquezinho, fácil. Pergunte-se sempre: “Isso que estou compartilhando sobre essa pessoa vai fazer diferença positiva no mundo e na vida de alguém?”.

Você vai começar a perceber que além de não fazer diferença positiva, geralmente falar dos outros quase sempre é negativo para você. Enquanto nossa energia vazia vai para as outras pessoas, ela deixa de nos nutrir de forma saudável. E se tiver uma fofoquinha daquelas irresistíveis, conta para a mãe. É bem assim que eu faço com a sua avó. Seja amiga e parceira das outras mulheres. Nós sabemos nos entender e nos curarmos umas às outras como ninguém.

Não faça absolutamente nada que você não sinta vontade. NADA. Tudo o que lhe parecer desconfortável, incomodativo, como diz a minha amiga Silvana, não serve para você. As mulheres e meninas atentas e sensíveis sabem bem diferenciar um olhar ou um comentário de admiração de olhares e comentários de assédio e desrespeito. Na rua, do chefe, do colega, do gato no barzinho ou do namorado. Lembre-se para sempre que você é atenta e sensível e não abra mão disso por nada desse mundo. Eu sei que você já está afiada e isso é um dos meus maiores orgulhos.

Não apenas porque eu me projeto em você (ok, sei que isso é errado, mas é quase incontrolável…) que já insisti tanto e continuo insistindo para que você faça aulas de dança. Mas também porque nada pode ser mais lindo que a graça e a força que tem uma mulher que sabe movimentar seu corpo com prazer, segurança e naturalidade na pista da vida. Isso pode ser muito libertador para o resto dos seus dias. Devore livros e consuma todo o tipo de arte que você puder. A arte transforma e só o conhecimento liberta. A sua vó nos criou dentro de museus em que ela trabalhou e sempre nos disse isso.

Engane o ciúme com sentimentos melhores, ele é traiçoeiro e voltará sempre contra você. Elimine a inveja da sua vida e tenha fé. Seja gentil, não precisa ser a Miss Simpatia ou expansiva como a mãe. Muitas vezes, a gentileza mora apenas em um gesto simples ou na potência de um olhar. Ah, já ia esquecer, a única mancha que o Hipoglós não tira é a de caráter.

P.S.: Boa vida, meu amor! É confuso. Muitas vezes, angustiante; mas a maior delícia que tem é existir.

Te amo,

Mãe


Mariana Bertolucci.

Foto de Heloísa Medeiros

CategoriasSem categoria
    1. Melina Grinberg says:

      Mari, que texto lindo, sensível e verdadeiro como tu! Parabéns amiga, por sentir tudo isso, ter o dom de expressar e criar uma filha tão linda, por fora e por dentro. Bjs cheio de saudades 💝

  1. Nina says:

    Mari! Que lindo te saber assim, sábia como tua linhagem materna falando sobre coisas tão importantes para tua linda e querida filha! Curar umas às outras, não fazer fofocas porque elas só ferem e rebaixam o feminino em nós etc mas adorei sobre o Hipoglós e isso é algo que a Dedé me ensinou! Gratidão por existires!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *