P

Por favor, Vera Loca, não deixe o rock gaúcho morrer

Vera Loca - Andrey da Silva

Sabe quando você escuta uma música que foi gravada ao vivo, ouve o coro do público e consegue sentir uma energia a ponto de se imaginar em um show no qual você nunca esteve? É assim que eu me sentia todas as vezes que ouvia “Grafiti” ou “Borracho y loco”, dois dos grandes sucessos da Vera Loca. No último sábado, 7 de setembro, tive a honra de, pela primeira vez, assistir a apresentação e a volta dessa banda incrível aos palcos.

Após dez meses longe da estrada, a Vera Loca retornou em uma performance digna de lotar o Bar Opinião. A banda santa-mariense, que havia dado uma pausa na carreira em outubro do ano passado — o último show aconteceu em novembro —, volta para anunciar música nova e, quem sabe, mais apresentações pelo estado.

Vera Loca
Crédito: Tainah Gil
Crédito: Andrey da Silva

A noite começou fria e chuvosa, o que me fez pensar que isso poderia atrapalhar o show de alguma forma. Vários fãs viajaram de longe para assistir de perto o que seria a primeira vez da Vera desde a parada. No próprio evento do Facebook, algumas pessoas já avisavam que partiriam de outras regiões do sul para presenciar o ao vivo da banda — foi o caso de Andressa Pires e João Chabar. O casal saiu de Caxias do Sul, cidade onde moram, para acompanhar a banda que os uniu. Juntos há sete anos, os dois se conheceram em um show da Vera Loca.

“Quando eles fizeram a pausa na carreira, ficamos muito tristes. Aí, quando a Vera Loca anunciou essa apresentação em Porto Alegre, pensamos que fosse um show de despedida e que não poderíamos perder. Agora vimos que vão ter mais shows, sim”, contou Andressa.

O espetáculo, que estava marcado para 21h00 começou pontualmente. Sem mais delongas, Fabrício Beck, Mumu, Luigi Vieira, Hérnan González e Diego Diegos subiram ao palco para matar a saudade que sentiram da reciprocidade e companhia do público.

“A gente está muito feliz! Parece que foi ontem que a gente anunciou uma breve pausa. Mas acabou. Tem música nova vindo daqui uns dias e estamos muito felizes de voltar e de nos reencontrarmos”, revelou o vocalista Fabrício.

E mais: o músico ainda declarou que o show estava sendo gravado e pediu a todos que contribuíssem cantando bem alto. Foi com “Velocidade”, música que faz parte do terceiro álbum da banda, lançado em 2008 e chamado Vera Loca III, que os 5 integrantes deram início a uma noite de grande sucessos. E é claro que além de “Grafiti” — que ecoou da voz público por todo Opinião —, outras faixas que marcam os 17 anos de carreira da banda como “Cuidado Ana”, “Maria Lúcia” e “A vida é de graça” não poderiam ficar de fora. 

Após 1h30 de apresentação, os músicos deixaram o palco se despedindo dos fãs. Mas ainda não era hora de ir embora! Faltava a música mais conhecida e esperada daquela noite: “Borracho y loco”. Para atender o pedido do público que gritava “mais um”, os integrantes retornaram para fazer o povo dançar e o chão da casa tremer. Ao som do refrão “E eu te esperarei, te esperarei pra sempre”, os fãs dançaram e cantaram com alegria o hit que fechava as cortinas o espetáculo.

Vera Loca
Crédito: Andrey da Silva
Crédito: Tainah Gil

Quando o show acabou, tudo o que eu senti foi a vontade de voltar no tempo para reviver essa noite. Na verdade, ainda estou assim até agora… Espero que ainda haja muitas apresentações, músicas novas e tempo de estrada para a banda. Torço para que a existência do nosso rock gaúcho nunca morra. Viva a Vera Loca!

Por Tainah Gil

Categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *