marcelo-d2-porto-alegre

Foto: Marcelo D2 / Divulgação

Em 31 de agosto do ano passado, Marcelo D2, nome reconhecido do rap nacional e da música brasileira em geral, lançou seu décimo álbum, em formato de obra transmídia, com participações especiais de nomes consagrados como Gilberto Gil, Rincon Sapiência, Sant, Seu Jorge, entre outros.

A narrativa do álbum visual (estilo, até então, pouco explorado em produções nacionais) mostra cenários familiares da vida carioca na periferia — violência, drogas, falta de investimento em educação, descaso com a juventude —, contrastando com a busca por representações e produções artísticas, esperança, irmandade e, principalmente, AMOR.

A posição de revolucionário desempenhada por Marcelo D2 já é esperada e exaltada pelos seus fãs, que por ele sentem um misto de carinho e admiração, características que ficaram nítidas no seu primeiro show, em Porto Alegre, da turnê AMAR é para os FORTES.

Com o Opinião lotado, cantou músicas clássicas da sua carreira solo e também do grupo Planet Hemp. Contou também com a participação do seu filho mais velho, o rapper Sain, que atuou como protagonista no álbum visual de D2.

Além de toda a energia transmitida nas rimas lançadas ao público, D2 levanta pontos de questionamento social a cada verso e em cada gesto. Ao receber da multidão uma bandeira estampada Marielle Franco (socióloga e vereadora do Rio de Janeiro), no dia em que se completou um ano de seu assassinato (14 de março), Marcelo D2 manda o recado: “parem de nos matar”, referindo-se à população que resiste à violência policial e às milícias em um país estruturalmente racista e elitista.

Segundo Fernanda Couce, fã de D2 que prestigiou o artista no Opinião, esse foi o auge do show.

“O Marcelo, um revolucionário nato, aproveitou para dar voz a essa luta, criticando o momento da política brasileira e nos lembrando de que estão em busca de cento e dezessete fuzis usados contra Marielle”, disse.

Emocionado, seguiu o show. Agora, com a placa da rua nomeada Marielle Franco no palco e a plateia, que o assistia impressionada.

Era evidente a alegria e o carinho de D2 ao ver o filho ao seu lado no show, em meio a beijos e abraços, gritos revolucionários de suas músicas esperançosas numa juventude que busque o amor e não o ódio, Marcelo D2 nos deixa aquela faísca de esperança dentro do peito: AMAR é para os FORTES, mas os fortes não estão sozinhos.

Nós existimos.

Por Karoline Oliveira

Categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *