A roupa que a gente usa, mais do que cobrir, carrega consigo nossa identidade, uma mensagem, um significado. Teu jeito de vestir também representa os teus costumes e valores. Por isso, em tempos de avaliar nosso modo de vida pelo olhar da sustentabilidade, repensar a moda é mais do que uma tendência: é uma necessidade para o futuro!

A boa notícia é que Porto Alegre está apostando forte no setor de moda sustentável. Cada vez mais marcas, pesquisadores e consumidores daqui desejam, literalmente, vestir a camiseta do produzir e consumir de forma consciente, sem deixar de lado o estilo!

Mas, afinal, o que é “moda sustentável”? Basicamente, é valer-se de design, tecnologia e criatividade para inovar os produtos da concepção à comercialização: na forma de produção, matéria-prima e vida útil da peça, nas condições de trabalho e no relacionamento com o consumidor.

Alguns exemplos práticos da aplicação desse conceito? Tecidos biodegradáveis, coleções atemporais, insumos feitos a partir de borracha de pneus e garrafas pet, valorização de toda a cadeia produtiva, tingimento natural e por aí vai.

E não é só papo engajado, não! A venda só acontece quando o consumidor gosta do produto, então, se não for bonito, confortável e não tiver estilo, não vende! Se não vende, não circula. E aí deixa de ser sustentável! Isso sem contar o desenvolvimento econômico gerado por um segmento que prioriza matéria-prima e mão de obra locais.

Como resumiu Paula Visoná, especialista no assunto da Escola de Indústria Criativa da Unisinos: “a moda sustentável deixou de ser apenas uma tendência comportamental para ser também uma tendência mercadológica”.

Essa atitude eco entrou forte no mercado do Sul. Marcas autorais de Porto Alegre colocaram no mapa nacional a cadeia local, e a economia colaborativa — outra característica do segmento — rendeu a criação de vários coletivos que reúnem grifes alinhadas a esse princípio pela cidade.

Vale fazer um circuito “ecofashion” pelos coletivos de moda sustentável de Porto Alegre. Ao final, deixo umas dicas acrescidas de eventos e feiras sugeridos por Cacá Camargo, professora e consultora em moda sustentável. Mas tem que ficar ligado: esse é um mercado tão efervescente que, enquanto você está lendo, certamente novidades estão surgindo.

E fica um conselho, não meu, mas de Viviene Westwood: buy less, choose well. Make it last.

Coletivo Viés e Shop Contextura

www.contextura.art.br

Rua Dr. Armando Barbedo, 1091.

93ML

www.93ml.com.br

Coletivo 828

www.coletivo828.com.br

Rua Visconde do Rio Branco, 828

30° Sul

www.coletivo30graussul.com

Vila Flores

Rua São Carlos, 753

FB: vilaflorespoa  

IG: @vilaflorespoa

Modaut

Rua Miguel Tostes, 897

FB: somosMODAUT

IG: @somosmodaut

Feiras

Me Gusta

http://feiramegusta.com.br/

FB: feiramegusta

IG: @feiramegusta

M.A.R

FB: marwoodwork

IG: @mar_woodart

Open Feira de Design

https://www.openfeiradesign.com/

FB: openfeiradesign

Café com Bazar

FB: CafeComBazar

IG: @cafecombazar

Por Andréa Back.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *